Páginas

30 de ago de 2014

Quem é você, Alasca?



Editora: Intrinseca
Edição: 1
Páginas: 240
Ano de lançamento: 2010

Sinopse: Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras que, cansado de sua vidinha pacata e sem graça em casa, vai estudar num colégio interno à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o "Grande Talvez". Muita coisa o aguarda em Culver Creek, inclusive Alasca Young, uma garota inteligente, espirituosa, problemática e extremamente sensual, que o levará para o seu labirinto e o catapultará em direção ao "Grande Talvez". 


Resenha: Não curti a historia, achei cansativo, muita enrolação e na metade do livro já me decepcionou completamente, fiquei com a sensação de que a historia acaba na metade.

A elaboração da história e da mensagem a ser passada poderia ser feita de forma menos vulgar e menos estúpida, já que em certas vezes a Alasca age de forma grosseira e dedutiva, como se os amigos tivessem uma “obrigação” de entender o que ela quis dizer com suas frases incompletas.

Comecei a sentir raiva dos personagens, Alasca por ela ter se matado, a procura do seu talvez, e de Chip e Gordo por ficarem o resto do livro procurando um porque de Alasca ter se matado.
Perguntamos então, o que seria antes ou depois? O que há depois do labirinto? Afinal, quem é você, Alasca?!


Não era o bastante ser seu último beijo. Eu queria ser seu ultimo amor. Mas sabia que não era.

– Quem é você Alasca?




Se eu ficar

Editora: Novo Conceito
Edição: 1
Páginas: 224
Ano de lançamento: 2013

Sinopse: A última coisa de que Mia se lembra é a música. Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado dos destroços do carro de seus pais, mas não sente nada. Tudo o que ela pode fazer é assistir ao esforço dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera... e o seu amor luta para ficar perto dela. Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difícil de todas. Se ela ficar...


Resenha: Esse livro me emocionou demais, mas não foi um dos meus melhores. 
 Ele te faz repensar sobre tudo, sua família, a escolha de partir ou ficar aqui, nesse mundo tão estanho, você acaba se apegando com a família de Mia, os pais amorosos, o irmão elétrico. 
O Único ponto chato é que tem uma continuação chamada "Pra onde ela foi", e como o primeiro livro acaba bem em um ponto critico, a ansiedade é grande!  


"Percebo agora que morrer é fácil.
Viver que é difícil".




17 de ago de 2014

Matilda Savitch

Editora: Intrinseca
Edição: 1
Páginas: 312
Ano de lançamento: 2012

Sinopse: Medo é algo que não existe para Mathilda Savitch. Ela encara o que a maioria das pessoas preferem nem mencionar: por exemplo, o fato de que sua querida irmã mais velha está morta, jogada na frente de um trem por um homem ainda à solta. Seu pais, consumidos pelo luto, agem como sonâmbulos. A missão de Mathilda é chocá-los para trazê-los de volta à vida. Sua estratégia? Ser malvada. 
Assim, Mathilda Savitch inicia uma investigação que expõe tudo o que a irmã possuía de mais secreto - e-mails, cadernos, qualquer coisa que sua determinação e astúcia consigam encontrar - no momento em que todos a seu redor querem apenas esquecer a dor. No entanto, o que Mathilda não sabe é que precisará arriscar muito, e deixar para trás tudo o que ama, a fim de descobrir a verdade.
Um livro de paixões impossíveis e humilhações devastadoras, que mostra como podemos ao mesmo tempo amar e odiar nossa família. 
Surpreendente, engraçado, comovente, estranho, verdadeiro, encantador e, no final, emocionante. 


“Como acontecem as coisas? Como acontece a vida da gente? Na maior parte do tempo, ela anda muito devagar e, por outra, chega até andar pra trás. Mas ai, um belo dia você é atirado no futuro e se descobre lá, bem no meio dele. Devia ser feito água, o futuro, mas parece lama, na verdade. A pessoa como que afunda nele”

Resenha: Mathilda não é nem um pouco igual os outros, tem uma imaginação que faz as pessoas se afastarem, fala oque não deve, age sem pensar, e fala coisas agressivas e sem noção, completamente louca!

A Historia toda é meio confusa, Mathilda tem um irmã: Helene, que morreu, e Mathilda acaba se sentindo culpada pela morte da irmã, e saí atras do ultimo amor de sua irmã, para descobrir quem foi o assassino.

O livro todo Mathilda tem um propósito: ser malvada, ela não tinha atenção dos pais que depois que a irmã mais velha se foi, não ligavam pra nada.
Cortava o cabelo, viajava para outras cidades sem avisar, trazia meninos para casa, entre outras coisas..
Enfim, apesar de ser diferente a leitura, eu gostei e recomendo.

O mistério do assassino no final ganha a trama toda, e você não consegue parar de ler pra no final descobrir o desfecho, e ainda torcendo para que Mathilda consiga ter o amor de seus pais de volta.


Será que ela vai voltar para mim? Será que algum dia tornará a me amar? Se eu quisesse ser ouvida por ele, teria de gritar. Porque, quando duas pessoas se amam, a gente tem que se tornar um intruso se quiser a atenção delas.








10 de ago de 2014

Puros

Editora: Intrinseca
Edição: 1
Páginas: 386
Ano de lançamento: 2012

Sinopse: Pressia pouco se lembra das Explosões ou de sua vida no Antes. Deitada no armário de dormir, nos fundos de uma antiga barbearia em ruínas onde se esconde com o avô, ela pensa em tudo o que foi perdido — como um mundo com parques incríveis, cinemas, festas de aniversário, pais e mães foi reduzido a somente cinzas e poeira, cicatrizes, queimaduras, corpos mutilados e fundidos. Agora, em uma época em que todos os jovens são obrigados a se entregar às milícias para, com sorte, serem treinados ou, se tiverem azar, abatidos, Pressia não pode mais fingir que ainda é uma criança. Sua única saída é fugir.


(não sei se da pra ler)

Resenha: Muito muito bizarro, assustador até, mas muito bom!
Eu estou morrendo já por ter que esperar o resto da coleção :(
Achei muito criativo o jeito que Julianna escreve, a forma de fundir as pessoas com tudo oque é possível, as formas que elas se fundiram, com o chão, animais, poeira.
Ta difícil eu conseguir falar deste livro, É totalmente diferente das minhas leituras, talvez seja o fato de nós deixar tão cara a cara com nossa realidade, foi o que mais marcou.
Eu vi tantas criticas por esse livro, que até não acreditei.
O livro inteiro é ótimo, cheio de mistérios e revelações. Os capítulos são revezados principalmente entre o ponto de vista da Pressia e do Partridge, mas há também pontos de vista de alguns personagens secundários, tornando a história bem diversificada.
Eu recomendo meeeeeeeeeeeeesmo!


"Queime um puro e respire as cinzas.
De suas entranhas, faça umas cintas.
Com seus cabelos, teça um cordão.
E de seus ossos faça um Puro sabão."








2 de ago de 2014

O Circo da Noite


Editora: Intrinseca
Edição: 1
Páginas: 368
Ano de lançamento: 2011

Sinopse: Sob suas tendas listradas de preto e branco uma experiência única está prestes a ser revelada: um banquete para os sentidos, um lugar no qual é possível se perder em um Labirinto de Nuvens, vagar por um exuberante Jardim de Gelo, assistir maravilhado a uma contorcionista tatuada se dobrar até caber em uma pequena caixa de vidro ou deixar-se envolver pelos deliciosos aromas de caramelo e canela que pairam no ar. Por trás de todos os truques e encantos, porém, uma feroz competição está em andamento: um duelo entre dois jovens mágicos, Celia e Marco, treinados desde a infância para participar de um duelo ao qual apenas um deles sobreviverá. À medida que o circo viaja pelo mundo, as façanhas de magia ganham novos e fantásticos contornos. Celia e Marco, porém, encaram tudo como uma maravilhosa parceria. Inocentes, mergulham de cabeça num amor profundo, mágico e apaixonado, que faz as luzes cintilarem e o ambiente esquentar cada vez que suas mãos se tocam. Mas o jogo tem que continuar, e o destino de todos os envolvidos, do extraordinário elenco circense à plateia, está, assim como os acrobatas acima deles, na corda bamba.




Resenha: Fiquei impressionada com o tanto de gente que não gostou desse 
livro.
"O Circo da Noite" é realmente encantador, é um circo, mas não um circo 
normal, é um circo onde as coisas acontecem, onde existe magia de verdade, onde existe tudo oque você deseja ver, até poesia engarrafada.

Eu nunca gostei de circos, uma frase que descreva isso por mim: "Odeio CircoAliás, odeio tudo que me encanta e depois vai embora.". Mas enquanto eu estava lendo esse livro, parecia que eu vivi junto com Celia e Marco, parecia que eu estava dentro do circo, comendo pipoca, e me encantando a cada tenda. Dentre todos os personagens nenhum é mais cativante do que o próprio circo.

Realmente, quem odiou esse livro, e diz que o livro é uma "ilusão" não tem capacidade de se deixar levar, e acreditar nos personagens e em magia.

Os personagens são bem construídos e, apesar de toda fantasia em volta deles, você consegue vê-los como algo mais que invenções da cabeça de Erin. Cada um tem um papel importante e não estão ali à toa, Se tirar um personagem, a história não faz sentido. 

Mas ainda assim, o circo chegou, foi embora e deixou um gostinho de quero mais.


O passado fica na gente da mesma forma que açúcar de confeiteiro fica nos dedos. Algumas pessoas conseguem se livrar dele, mas os fatos e as coisas que as empurraram para onde estão agora continuam ali.
-O Circo da Noite